07 fevereiro 2008

Memories

The February TIF made me look back into my childhood. How much different the world was on that time? I fixed the late sixties and listed some of the things I found quite different from nowadays:

  • I used a fountain pen when I was on primary school
  • My grandfather lived in a country village and he had no tap water or electric power at home
  • Milk was delivered at my door step in glass bottles
  • There were “varinas” in Lisbon, selling fish door to door
  • There were no supermarkets in Portugal, only small shops
  • On church, women used a veil and long sleeves even on summer
  • I could play on the street without fear
  • My mother could not vote

Now the challenge: what am I going to make this time. I looked to the list and realized that the item number two is of the most importance. To have or not tap water and electric power at home determine dramatically a person’s life. My mother grew up with none of those benefits and she made her bridal linens after work, through the evenings, by candlelight.
Some years ago she gave me this humble lace, made on that time with basting thread and I have kept it to be used one day, on that special project.
The lace has a yellowish color and I intend to wash it before I use it. I will try a gentle washing and I hope the lace resists after all these years.
By the way, the picture was taken in 1968 at my primary school Voz do Operário da Ajuda. I am the second one on the left.

O desafio de Fevereiro do TIF fez-me voltar a muito tempo atrás e o mundo está muito mudado em relação a esse tempo. Fixei-me no final dos anos sessenta e enumerei algumas das coisas daquele tempo, que já não fazem parte do nosso dia a dia.

  • Tinha de usar caneta de tinta permanente na primária
  • O meu avô materno vivia numa vila onde não havia água canalizada nem corrente eléctrica
  • O leite era distribuido em garrafas de vidro, porta a porta
  • Havia varinas em Lisboa, a vender peixe pelas ruas
  • Não havia supermercados, só comércio de bairro. Para comprar um casaco iamos à Baixa
  • Na igreja as mulheres usavam véu e mangas compridas, mesmo no Verão
  • Podia brincar na rua sem perigo (e acreditem que o fazia)
  • A minha mãe ainda não podia votar

Indo ao que interessa: o que vou eu fazer desta vez.
Olhei para a lista e apercebi-me que não ter água ou luz é um dos aspectos mais importantes dos que referi. É uma situação que muda radicalmente a forma como se vive. A minha mãe cresceu sem nenhuma destas infraestruturas e fez o seu enxoval à noite, à luz do candieiro a petróleo. Há alguns anos deu-me esta renda, feita nessa altura com linha de alinhavar, que eu guardei à espera de a aplicar de uma forma especial. Parece que chegou a altura. A renda amareleceu, é frágil, mas pretendo lavá-la antes de a aplicar e espero que resista após todos estes anos.

Já agora, a fotografia foi tirada em 1968 na minha escola primária, Voz do Operário da Ajuda, e eu sou a segunda a contar da esquerda.

15 comentários:

Noel disse...

it's true, a lot of things have change. The picture is lovely. Besos

Beth disse...

Nossa! Acho que somos contemporâneas! Embora em continentes diferentes, tivemos muitas coisas em comum: as garrafas de leite, as ruas sem perigo, as pequenas "vendas" nos bairros, as mulheres na igreja...E a foto... me fez lembrar meus 10 anos...

Carlota disse...

Tenho toneladas de rendas começadas (como esta), toalhas, guardanapos, paninhos disto e daquilo, camisas de noite, fronhas, tudo coisas antigas da minha mãe e da minha avó.
Pensava que já os tinha guardado a todos quando, neste Natal, fui alertada pela minha madrinha, que tinha descoberto mais uma arca cheia de coisas minhas numa das casas dela. Lá fui buscar mais uma tonelada de tecido a cheirar a bafio. Lavei tudo, passei tudo a ferro. Só aproveitei umas fronhas muito giras (até parecidas com as que se vendem agora na Zara Home). O resto, guardei. São coisas bonitas, mas pouco práticas. Já nem todas se compadecem com os dias de hoje...
Bom fim-de-semana!

Tereclopes disse...

Eu podia ter escrito este post, a única diferença é que não vivia em Lisboa, de resto é tudo igual. Até na foto da primária só mudam as caras...
Também tenho muitas rendas, bordados etc. tenho aplicado algumas recentemente. Fiz uma toalha de mesa há pouco tempo com umas rendas feitas por mim quando tinha 14 anos(1967).
Recordar é viver... Obrigada por este bocadinho.

Brikebrok disse...

Estou curiosa para ver o resultado desse desafio de fevereiro, como fazer reviver o passado num quilt ? uhm ... interessante.
é incrível como as coisas mudaram na Europa e aqui tudo continua como hà 50 anos atrás ...
temos algumas recordações em comum, não temos uma grande diferença de idade !:-)

Brikebrok disse...

lia o comentário da Carlota que fala sobre a Zara Home, é verdade que bordados, patchwork, etc estão a ser revalorizados e tornam-se mesmo "trendy", acho fantástico ! Mas na zara home é tudo made in india, a imitar "vintage",( e vende-se tudo )enquanto quase todas as famílias portuguesas têm gavetas e gavetas de "enxoval" a criar bafio sem serem usadas ... estranho fenómeno !

Nettie disse...

What a cute little girl you were!

Very touching post. Now you're making me think about the 60s too.

Lau disse...

fotos são sempre boas lembranças!!!
Tenho 26 anos e da minha infância p/ cá mtas coisas mudaram, infelizmente =(
Bom fim de semana!!!
bjinhus

Guðrún disse...

Sweet memories. Lucky you to have this piece made by your mother.

Emilia L. disse...

Belem, thanhs for taking part in this exchange game. Please could you me your dates(surname, adress etc) in order to receipt your packet whem you have an exchange-mate assigned.
My best regards kisses.
Emilia

Xinapatch disse...

Yo nací a finales de los 60 pero aún así sé de lo que hablas, por aquí las cosas no eran distintas. El trabajo de ganchillo es precioso, yo guardo algunas cosas parecidas as esa hechas por mi abuela. Es precioso!

Wendy disse...

A lovely keepsake from your mother. I am grateful we don't have to craft by candlelight today.

laurapatch disse...

Cuantos recuerdos de infancia me ha traído tu artículo. Recuerdo un año que nevó y hacía muchísimo frío y mi madre y yo estuvimos varias horas haciendo cola para comprar petróleo para la estufa... lo mejor de aquella época era poder jugar en la calle, eso sí que es una lástima que no puedan hacerlo los niños de ahora.

tia Glória disse...

as nossass recordações são as mesmas, com a diferença que eu vivia numa aldeia da beira alta.
Apesar de termos sempre luz em casa havia amigas que não tinham. O leite não vinha em garrafas mas vinha a leiteira a casa.
Eu nessa altura tinha um ano.
Mas ainda usei bata nos primeiros anos da primária

andsewitis Holly disse...

Wonderful picture and great memories. Lace made by your mom in those times is a treasure.