13 dezembro 2010

a anatomia do dedal ou como escolher o dedal certo

Para além do que foi dito, muito há ainda a dizer sobre o uso deste objecto. Mas a parte mais importante do uso do dedal é encontrar aquele que mais convém a cada pessoa ou até a cada situação. E escolhê-lo, pode requerer alguma paciência e persistência.
Podem ser vários os factores de escolha, o material, o modelo, a técnica para a qual são usados.
Materiais
Os dedais mais comuns são os metálicos. São resistentes, têm várias formas, mas muitas pessoas sentem-nos como um objecto estranho e têm dificuldade em habituar-se a eles.
O couro é também utilizado e por ser um material mais orgânico torna, algumas vezes, o seu uso mais fácil.  Os dedais de silicone são mais recentes e tem tido uma grande aceitação. São macios, ajustam-se muito bem ao dedo e são aqueles cujo uso se torna mais imperceptível.
 Modelo
No dedal há duas partes utilizáveis: o topo e a parede lateral. Há ainda os chamados dedais de alfaiate que não têm topo.
Nem todas as pessoas seguram na agulha da mesma forma e por isso algumas pessoas tendem a empurrar a agulha com o topo do dedal e outras com a parede lateral. Por isso o modelo do dedal é importante. O dedal de silicone não deve ser usado por quem usa a parte lateral do dedal porque só o topo é utilizável. Pelo contrário o dedal de couro (o modelo da foto) é mais adequado a quem usa a parte lateral do dedal
Técnica
O dedal tem por função empurrar de forma segura a agulha e por isso a profundidade  e desenho dos "buraquinhos" à superfície do dedal é determinante para a qualidade de um dedal. Quando a técnica exige que a agulha seja empurrada com mais força este aspecto é mais relevante. Os dedais metálicos japoneses (dedo médio da foto) são ajustáveis ao perímetro do dedo e têm depressões muito definidas que permitem um controlo muito preciso da agulha (podem ver na última foto a comparação com um dedal metálico vulgar). São ideais para quilting manual e desde que os descobri adoptei-os incondicionalmente quando acolchoo à mão.

(e a mão que vêm na foto é da minha filha Margarida que ultimamente tem tirado quase todas as fotografias que tenho colocado aqui no blog)

8 comentários:

aracne disse...

This is very interesting. I can not sew without a thimble and I have recently 'discovered' the tougher ones for quilting. Such a humble tool but so useful.

raquyarts-raquel disse...

Este post veio mesmo a calhar! Tenho imensa dificuldade em encontrar o dedal ideal. Tenho os dedos muito fininhos e por isso quase todos os dedais me ficam muito largos. Onde é que poderei encontar os de silicone? Talvez esses sirvam para mim. Os meus dedos agradecem....

Elizabeth disse...

Oi,
Muito legal seu texto. O dedal é imprescindivel para quiltar, mas tenho um pouco de dificuldade em usar.
Boa semana, beijo.

isabel disse...

Excelente explicação.
Obrigada Luísa!

Beth disse...

Luísa, você acredita que quando vi a foto pensei: "essa mãozinha deve ser da Margarida"!
E não é que acertei?
Obrigada pelas informações, mas tenho tanta dificuldade em usar o dedal! O de silicone eu até consigo usar um pouquinho mas logo começa a incomodar...Vou treinar mais um pouquinho...

Senhora Baruch disse...

Oi,

Parabéns pelo blog e as lindas postagens, quanta informação útil divide conosco.
Convido-a para visitar meu blog, será um prazer tê-la como amiga.
Abraço e boa semana.

Luciana Kajiura disse...

Adorei as explicações. Sempre fico com os dedos machucados quando vou quiltar uma peça. Irei para Lisboa no Natal e espero visitar a sua loja!
Bjos, Luciana.

Zuka disse...

Senti a necessidade de proteger meus dedinhos, coloquei o dedal, mas que dificuldade!!
Vim procurar explicações e achei teu blog, foi ótimo.