03 agosto 2010

dedal (usar ou não usar)

A relutância em relação ao dedal já vem de longe e continua por estes tempos. Muitas das mulheres que hoje descobrem o mundo dos crafts, ou não coseram na infância e na adolescência, ou fizeram-no pontualmente e por isso nunca se habituaram a usá-lo.
O dedal funciona como um objecto estranho e o gesto de pegar na agulha fica condicionado por isso. Ao fim de algumas tentativas a maioria desiste, porque não se consegue habituar.


Coser com dedal tem vantagens.
Uma das principais é que a agulha não magoa o dedo que a empurra e por isso o movimento faz-se mais livre e mais preciso. Para as técnicas de bordado e appliqué isso facilita muito o trabalho. Aumenta-se a destreza, a velocidade e o ponto fica mais bonito porque fica mais regular. Para o quilting à mão considero-o imprescindível! 

Como se habituar a usar dedal
Uma das formas é colocá-lo no dedo médio da sua mão de trabalho, mas não quando começa a coser. Experimente colocá-lo 5 minutos ao serão, e vá progressivamente aumentando o tempo, todos os dias, até cerca de 10-15 minutos. Depois, quando colocar o dedal e já não se lembrar que o tem no dedo, é altura de começar a coser com ele. Pontos simples, como  o alinhavo. 

Como escolher o dedal
Há muitos modelos e materiais mas fundamental é que o dedal tenha o tamanho certo. Não deve ser justo para não magoar, nem demasiado largo para não cair. Há pessoas que têm alguma tendência para os dedos incharem e poderão ter dedais com duas medidas consoante a situação.

A ilustrar tudo isto, o dedal de prata da D. Angélica, que de tantos anos de uso, já levou um topo novo. Quem não usa dedal, ou desistiu de o usar, dê uma segunda oportunidade a esta ferramente e vai ver que vale a pena.

5 comentários:

kraftier disse...

pois é o dedal!!! essa ferramenta estranha e difícil de usar... tantas tentativas que tenho feito e não consigo habituar, uso de vez em quando e conforme o craft , Arraiolos sim , bordar não .

Vanessa disse...

Realmente é complicado usá-lo, principalmente em trabalhos pequeninos. Mas já recorri a ele para trabalhos de força que me podiam furar os dedos!

Cris Chiosini disse...

Oi, Belém.
Eu adorei a dica !
No último final de semana, tive que fazer vários fuxicos e meu dedo sofreu tanto, coitado !!!
Eu ouvi falar que agora existem dedais de silicone - talvez com eles a adaptação seja mais fácil, porém não sei se protegem tanto quanto deveriam.
De qualquer forma, muito obrigada pelo post.
Vou procurar um dedal pra mim na primeira oportunidade, e começarei como vc indicou: um pouquinho a cada dia.
Beijos.

Açor disse...

Pois... logo que vi o post pensei: - Este é para mim! Eu sei que devia, que é mais que útil, mas depois de inúmeras tentativas, eu ainda não consigo. Vou seguir os conselhos... vou treinar. Quem sabe não é desta?! Se tivesse usado pelo menos um décimo daquilo que usou a Dª. Angélica tenho a certeza que já não me faria confusão...

Sandra Pagano disse...

Minhas querida, sou do Brasil e gostaria de saber se existe um Quilt Festival em Portugal e quando acontece.
Quero ir com as minhas amigas.
Obrigada e parabéns pelo trabalho
Sandra Pagano