30 agosto 2010

Bolsa domingueira

Se os talegos serviam para tudo, a bolsa de Domingo ia já no enxoval e durava uma vida, de tão estimada que era. Para quem pouco tinha, era mais uma forma de marcar os dias diferentes e dar mais sabor à vida. Esta bolsa Algarvia pertencia à avó de uma amiga e, segundo a neta, era usada orgulhosamente pela sua dona. 
 
Feita em tricot, tem um desenho simples, mas uma técnica elaborada. Foram precisas algumas voltas à bolsa para descobrir o seu segredo.

Começámos a contagem decrescente para o 1º Encontro de Patchwork em Portugal e vale a pena ver como o patch solidário se veste de tanta cor.

4 comentários:

Açafate dos Retalhos disse...

Que linda esta bolsa.

Felizarda
acafatedosretalhos@gmail.com

aracne disse...

che meraviglia questa borsa! mi piacerebbe copiarla.

Meada Dobada disse...

Lindo este trabalho. Já encontrei uma toalha com este tipo de trabalho, uma tira de cada cor, e uma bolsa de pão, tambem com duas cores mas cisidas de modo a não deixar espaços livres.
Ainda não lhes procurei o segredo, mas é uma arte rara, que me encanta, o tricot rendado.

tia Glória disse...

que linda.
Eu tenho um conjunto de naperons com esse modelo.
fica sempre bem