25 setembro 2016

o tempo das romãs ou as cinco etapas a seguir quando pensarem nas prendas de Natal


A semana passada o meu pai trouxe-me, da terra, as primeiras romãs. Há frutos que ainda marcam a sucessão das estações e a romã é um deles. Começa a aparecer no início do Outono e traz-me sempre a nostalgia dos dias pequenos, do frio, e do conforto de estar em casa.
Hoje estamos precisamente a três meses do próximo Natal e é já um tempo tão próximo que não podemos descurar muito a organização das prendas.
A prendas feitas por nós têm um gosto muito especial e por isso, mais do que as outras, devem ser pensadas atempadamente e de uma forma muito pragmática. É certo que não conseguimos fazer todas os projectos que gostariamos e por isso há que racionalizar os meios: tempo e orçamento. De uma forma prática podemos estabelecer 5 etapas para acabar a tempo as nossas prendas.

1- Devemos fazer o levantamento das pessoas a quem pretendemos oferecer prendas feitas por nós. Só este tema faria correr muita tinta. Mas aconselho a estabelecer uma lista com as prioridades. Não quer dizer que o mais prioritário sejam as pessoas afetivamente mais próximas. No caso de não apreciarem o nosso trabalho, por exemplo, não vale a pena o investimento em detrimento de outros casos.
Claro que esta prioridade deve ser estabelecida por cada um e não há regras a apontar.
Vamos supor que tenho na lista 5 pessoas (é pouco, mas é realista)

2- Há que ver qual o tempo que temos disponível para executar as peças. E então devemos ser bem realistas. Se é do serão que dispomos e apenas algumas horas ao fim de semana, não devemos contar com essa disponibilidade todos os dias porque podemos ter outro compromisso, estarmos doentes etc. Devemos pois contar com cerca de 2/3 do tempo que inicialmente prevemos ter disponível.
Imaginem que posso gastar por semana 4 serões de 2 horas até dia 18 de Dezembro. Isso vai-me dar cerca de 14 semanas e um total de 96h. Se contarmos com 2/3 ficamos com 64h. Pois é os três meses estão reduzidos a 64 "míseras" horas.

3- Vamos também escolher as peças para cada uma das pessoas da lista de "eleitos". A maioria das pessoas sabe fazer uma estimativa das horas que gasta a fazer determinado tipo de projecto. Um gorro pode ser feito em menos de 4h e um quilt pode levar mais de 20h. Tendo em conta que da minha lista constam 5 pessoas tenho cerca de 12 h para cada projeto e por isso posso fazer algumas peças mais ambiciosas se "roubar" algum tempo a outras mais simples.
Imaginem que tendo somado as estimativas dos tempos que pensam gastar em cada projeto, o tempo total ultrapassa as 64h. Podem ter várias alternativas: mudar para um projetos mais simples, investir um pouco mais de tempo numa determinada peça que querem mesmo fazer (sabendo de antemão onde ir tirar o tempo). Imaginem que pretendem tricotar um cachecol muito trabalhado: podem fazer um ponto mais simples ou aumentar a espessura do fio.

4 - Feito este levantamento é bom também estabelecer os limites que o nosso orçamento nos permite. Não é por ser feito à mão que uma oferta é menos dispendiosa e custo deve ser avaliado à priori.

5- Estabelecer datas limite para terminar cada peça. Parece sempre que o tempo é muito e se não compartimentarmos o tempo destinado a cada peça, corremos o risco de chegar ao Natal com metade ou tudo por acabar.

Mais do que tudo, sejamos práticos, realistas sem deixar de ser entusiastas porque não há nada melhor que ver a expressão de alguém que recebe uma prenda feita por nós e a aprecia realmente.



4 comentários:

Ana Barata disse...

tudo tão bem explicadinho, Luisa! só duma pessoa que sabe gerir bem o tempo!
Eu tenho esse problema: "o passo maior que a perna"! E todos os anos repito para mim, que este ano é que vou conseguir!
POis que seja este!
Obrigada pela dica!
bjs

Luísa Silva disse...

Olá Ana. Esse problema é comum à maioria das pessoas. O desejo de partilhar as nossas coisas com as pessoas a quem queremos bem leva-nos ao ponto de não conseguirmos perceber os nossos limites. Mas há sempre oportunidade para rever a questão. Beijinhos

Lilian Oliveira disse...

É isso mesmo!!! Mas há tanta coisa linda para aprender e esqueço me que só tenho 2 mãos....����

Haus Immobilier disse...

Adoro estas dicas! Isso ajuda muito