20 março 2011

Bordar

Temos um estado de espírito diferente quando bordamos. Só ou em grupo, é calmo e permite-nos evadir. Não é difícil mas exige de nós concentração e disponibilidade. Desde o traçar do risco à lavagem suave e depois ao passar a ferro em que se revelam todos os pormenores. A luz dá-lhe uma personalidade própria e podemos vê-lo de muitos ângulos. E se à primeira vista parece intimidante, depois constata-se que bastam alguns pontos simples para começar: ilhós, bolinhas, ponto atrás, ponto de cadeia, ponto pé de flor, canutilho e nózinhos.
(workshop Pontos de Bordado I da Dotquilts)

5 comentários:

Anónimo disse...

Está lindo!!!

Joana disse...

muito bonito!

Borboleta Serrana disse...

Lindo!!!
Aconselho vivamente, a toda a gente, a bordar. Não há nada melhor para o stress;)
Boa semana

Jussara Machado disse...

Pois eu concordo com o texto. Eu adoro bordar, e quando o faço realmente viajo, levito, repouso, é um estado de espírito que só quem borda é que conhece.
Esse bordado do post está delicadíssimo! Parabéns pela escolha.
Beijos
Jussara

Anónimo disse...

Adoro bordar, será que era possivel enviar-me o risco deste trabalho ?
Muito obrigada

Maria da Graça